Número total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

EU SOU


Qualquer interpretação científica do universo material torna-se sem valor, a menos que venha do devido reconhecimento do cientista.

Nenhuma apreciação da arte será genuína a menos que seja acompanhada do reconhecimento do artista.

Nenhuma avaliação da moral vale a pena, a menos que inclua o moralista.

Nenhum reconhecimento da filosofia será edificante, se ignorar o filósofo, e a religião não pode existir sem a experiência real do religioso que, nessa e por meio dessa mesma experiência, está buscando encontrar Deus e conhecê-lo.

Do mesmo modo, o universo dos universos fica sem significado se separado do EU SOU, o Deus infinito que o fez e que continuamente o administra.


( O livro de Urântia )

domingo, 19 de julho de 2009

A PARTIDA





É hora de partir, meus irmãos, minhas irmãs.

Eu já devolvi as chaves da minha porta,

E desisto de qualquer direito à minha casa.

Fomos vizinhos durante muito tempo, e recebi mais do que pude dar.

Agora vai raiando o dia, e a lâmpada que iluminava o meu canto escuro apagou-se.

Veio a intimação e estou pronto para a minha jornada.

Não indaguem sobre o que levo comigo.

Sigo de mãos vazias e o coração confiante.
( Rabindranath Tagore )

quarta-feira, 15 de julho de 2009

AURORA


Pensa em ti como uma aurora. O que é uma aurora? É o dia que nasce.

E um dia que nasce traz com ele toda a sabedoria.

A sabedoria dos dias que já lá vão, que contêm neles próprios a experiência adquirida ao longo da passagem do tempo, e a sabedoria de ter um zero com um dia inteiro á sua frente.

Zero no sentido de saber que o que vem é novo, diferente e inusitado.

E às vezes também incompreensível.

Mas o dia sabe que o que vem é para ele. Por algum motivo conhecido ou às vezes até desconhecido, tudo o que vem é para ele.

Para que ele possa sentir, compreender,assimilar e evoluir.

E sempre, sempre limpar.

Limpar o que não é dele, porque veio e aí ficou.

Limpar o que é dele, densidade antiga, limpeza tantas vezes adiada.

Limpar o que é dele e é recente, e pôr as coisas em dia...

Sê como a aurora.

A aurora traz consigo a sabedoria do passado e a ignorância doo futuro.

E está aqui.Pronta para recomeçar.

Apesar das tormentas.

Apesar dos dias desesperados.

Apesar da chuva, do frio, da tristeza.

A aurora sabe que tem de avançar.

O dia está para nascer e não há nada que possa parar o sol de brilhar.

Mesmo quando abaixo estão as nuvens.

Sê como a aurora.

Deixa que o teu passado te instrua, mas não deixes que ele atrapalhe o presente, e muito menos o futuro.

Mantém-te aberto para o que ainda não sabes.

Mantém-te intacto para o que há-de vir...


( Jesus- no livro Muito Mais Luz de Alexandra Solnado )

sábado, 11 de julho de 2009

O AMOR VISTO PELAS CRIANÇAS





Um grupo de profissionais colocou esta questão a um conjunto de crianças entre os 4 e os 8 anos: Qual é o significado do amor? As respostas que obtiveram foram muito mais amplas e profundas do que alguém possa imaginar.



Rebeca, 8 anos-«Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto o meu avô faz sempre isso por ela, mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amor.»




Billy, 4 anos- «Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa»




Karl, 5 anos- «O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro. »



Chrissy, 6 anos- «O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele .»





Terry, 4 anos- «O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.»





Danny, 7 anos-«O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.»




Emily, 8 anos-«O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ainda queres estar ao pé daquela pessoa e falar com ela. O meu pai e a minha mãe são assim. Eles são um bocado nojentos quando se beijam.





Bobby, 7 anos-«O amor é aquilo que está contigo na sala, no Natal, se parares de abrir os presentes e escutares com atenção.»





Nikka, 6 anos-«Se queres aprender mais sobre o amor, deves começar por um amigo que odeies.»




Noelle, 7 anos-«O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias.»



Tommy, 6 anos-«O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem.»



Cindy, 8 anos-«Durante o meu recital de piano, eu estava no palco e sentia-me apavorada. Olhei para todas as pessoas que estavam a olhar para mim, e reparei no meu pai que estava a acenar-me e a sorrir. Era a única pessoa a fazer aquilo. O medo desapareceu.»




Claire, 6 anos-«A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir.»



Elaine, 5 anos-«Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha.»



Chris, 7 anos-«Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford.»


Mary Ann, 4 anos-«Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia .»


Lauren, 4 anos-«Eu sei que a minha irmã mais velha me ama, porque me dá todas as roupas usadas e tem de ir comprar outras.»


Karen, 7 anos-«Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti.»


Mark, 6 anos-«Amor é quando a mamã vê o papá na casa de banho e não acha isso indecente.»



Jessica, 8 anos-«Nunca devemos dizer 'Amo-te', a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se .



E a última? O autor e conferencista Leo Buscaglia falou de um concurso em que ele teve de ser júri. O objectivo era encontrar a criança mais cuidadosa. A vencedora foi um rapazinho de quatro anos, cujo vizinho era um velhote que perdera recentemente a sua esposa. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do velhote, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe he perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse:



«Nada, só o ajudei a chorar...»



( Recebido por e.mail)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

A MORTE


Morrer é o apagar da lampâda ao nascer do dia, não o apagar do sol...




(Tagore)


Dedicado ao meu tio Francisco que iniciou hoje uma nova jornada.

quarta-feira, 1 de julho de 2009



Quando a raiz é profunda, porquê recear o vento?
Quando a árvore é direita, porquê afligir-se,
Se a lua lhe dá uma sombra oblíqua ?

( provérbio chinês )