Número total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

EQUILIBRAR A AUTO-ESTIMA




Aqui estão sete atributos que nós garantimos que se praticarem-nos regularmente irão começar a elevar a sua consciência angelical e gerar um equilíbrio da auto-estima.

1. Tornem-se Criativos 
O primeiro é este: Façam algo criativo! Vocês poderão dizer: "Mas eu não tenho nada que seja criativo." Sim, vocês têm. Todos vocês têm. Quantos de vocês já tentaram canalizar? E poderão dizer: "Bem, agora eu não acho que desejo fazer isto." Por que não tentam fazer isto quando estiverem sozinhos? Por que não tentam fazer isto em um pedaço de papel? Por que não vêem o que suas células e seu Eu Superior desejam dizer a vocês uma vez que os deixem fluir? Poderão ficar chocados e surpreendidos. Vocês não precisam mostrar aquilo que fazem para ninguém, nunca.

Realizar coisas criativas pega aquela sua parte divina e a derrama sobre a sua parte de dualidade, e é interessante observar a luz se desenvolver. Façam algo criativo. Talvez vocês não se considerem um cantor, então ao invés disto, escrevam uma canção. Deixem outra pessoa cantá-la. Talvez vocês não sejam um pintor? Pintem assim mesmo. Deixem a criança sair para pintar imagens que vocês pintaram quando eram pequeninos. Façam algo criativo. Este é o número um. E parece excessivamente simplista, não é? Observem como estas coisas se fundirão umas nas outras, quando a número um se tornar a número sete. O círculo de atributos que estou dando a vocês será muito mais profundo do que parece agora. A criatividade faz algo por vocês que quase nada mais pode fazer. Ela bate à porta do ser divino, e começa a exercitar suas partes que precisam ser despertadas.

2. Ajudem os Outros 
Número dois: Ajudem os outros. Esta parece simples até que eu a elabore mais. Portanto, irei diretamente a ela: Nós os desafiamos a se voluntariar em um lugar onde as pessoas estão morrendo. Vão e encontrem o lugar mais obscuro que puderem em um hospital, Trabalhadores da Luz. Vão e encontrem um lugar onde as crianças estão morrendo, e se plantem lá. Encontrem aqueles que estão morrendo de câncer e vírus, e coloquem-se lá. Leiam para eles, segurem suas mãos e contem histórias. Voluntariem-se. Vocês têm tempo para as crianças... e sabem disto. Alguma vez já pensaram sobre isto?

"Kryon, você acabou de nos dar algo horrível para que tentemos realizar. Nós não podemos. Eu nunca poderia ir lá", vocês poderiam dizer. "Eu choraria na porta e não faria bem para ninguém." Meus queridos, esta é uma incompreensão comum... o fato de que os humanitários não podem ajudar por serem muito sensíveis. Então, eu lhes darei um postulado e depois pedirei que o provem por si mesmos. Quando vocês permanecem de pé na porta desse lugar onde essas crianças estão morrendo, e abrem a porta, sua luz aflui para essa área e o amor delas aflui para vocês. Vocês se sentirão elevados e abençoados. Poderão se sentar e segurar as mãos de uma criança enquanto ela morre, e poderão chorar por sua vida, mas se sentirão capacitados e elevados porque o divino em vocês toca o divino nelas. Não existe nada como isso, Seres Humanos... nada como isto. Vocês se tornam parte de um processo divino! Vocês podem celebrar estar lá e ajudar?

Se desejam tocar a família, é lá onde vocês o fazem. Vão e se voluntariem onde estão os idosos, onde estão os que estão perto da hora da passagem. Leiam histórias para eles. Perguntem sobre suas vidas. Celebrem sua juventude, e estejam lá quando eles fizerem a passagem. Sua divindade celebrará a divindade deles, e ambos serão capacitados.

Ajudar aqueles em transição, não importando qual sua idade, cria e estimula uma parte de vocês que os irá surpreender. Vocês pedirão para fazer isto uma vez após a outra, compreendendo que o que estão fazendo é realmente um trabalho sagrado.

Queridos Seres Humanos, estes são apenas dois dos pontos e, no entanto, já começaram a se sentir diferente. "Talvez eu seja alguém!", vocês poderão dizer. "Talvez realmente haja algo nisto". As partes escuras de vocês começarão a diminuir à medida que vêem a luz começar a se desenvolver em áreas que antes estavam obscurecidas. Este é o número dois. Vão e ajudem alguém.

3. Exercitem-se e Meditem
Este é o mais difícil, e aquele do qual não irão gostar. Exercitem-se! Em sua cultura, vocês não estão mais caçando animais para se alimentar! [Risadas] Vocês precisam equilibrar esta falta de atividade com exercícios. Biologicamente, quando vocês se exercitam existe um equilíbrio químico que é mudado e transformado. Além disso, vocês absorvem mais oxigênio necessário, um combustível realmente necessário para o corpo para um ser humano que tenta melhorar novas partes do seu pensamento. No passado, a oxigenação foi desprezada. Isto é muito necessário!

Deixem-me dizer-lhes outro segredo: Vão se exercitar e em seguida pratiquem a meditação. Observem o que acontece. Um cérebro oxigenado cria uma nova paleta para o artista da meditação. Esta é a ordem das coisas. Compreendam bem: Exercitem-se e depois meditem. Não se enganem. Alguns de vocês dirão: "Deixe-me ver, isto é meditar e meditar, certo?" [Risadas] Este é o número 3, e é tão importante como qualquer outro.

4. Afirmações Verbais Pessoais
O número quatro pode ser difícil de explicar para vocês, e está muito simplificado. Observem o que vocês dizem! As palavras que saem de sua boca são construtoras de energias divinas. Elas vão para o ar e são preenchidas, o melhor que se pode, por aquelas energias em seu corpo, e aqueles ao seu redor (que vocês não podem ver) tentam o seu melhor para preencher o que vocês desejam co-criar. Talvez em uma situação negativa vocês possam dizer: "Maravilha! Eu sabia que isto iria acontecer." Sua estrutura celular diz: "Vocês escutaram o chefe? Ele gostou!" As entidades ao seu redor escutam também: "Vocês escutaram o chefe? Ele acha isso legal. Vamos fazer de novo!" Já pensaram sobre isto? As células escutam, e farão o seu melhor para garantirem que isto aconteça de novo!

Observem o que vocês dizem. Ao contrário de uma postura negativa, dêem a si mesmos afirmações. Abençoado é o Ser Humano que compreende o poder da fala humana. Quem são vocês? Digam seu nome em voz alta. "Eu sou (seu nome entra aqui)." e coloquem ênfase no "sou" e observem o que acontece. Deixem-me dizer-lhes o que esta frase significa. Se o seu nome é Paulo e disser "Eu sou Paulo", as primeiras duas palavras são a afirmação de quem você é. "Eu Sou.” Paulo é então o identificador do que você é chamado. São duas afirmações em três palavras.

Vocês manifestam a energia que colocam no ar através da fala. Os próprios elementos "escutam" em um nível universal. Vocês estão muito acostumados a apenas fazer barulho quando as coisas estão difíceis. Tentem equilibrar isto! Já é tempo de falar a sua alegria!

5. Desafiem a Sua Parte mais Obscura
Isto parece algo amedrontador, mas não é. Escutem: Desafiem a parte obscura de si mesmos para uma luta! Lancem o desafio. Digam a ela onde vocês irão encontrá-la e quando, depois esperem por ela. Desafiem esta parte a se encontrar com vocês cara a cara. Vocês têm partes de si mesmos das quais não gostam? É claro que sim, já que estão na dualidade. Eu acabei de lhes dar esta informação. Vocês têm partes obscuras as quais gostariam de esfregar e limpar ou talvez afastar ou derrotar? Bem, então, desafiem sua parte mais obscura para uma luta. Marquem um encontro. Vocês realmente desejam ser bravos? Então, desafiem-na para lutar na escuridão, em seu próprio campo!

E a razão pela qual dizemos isto é porque estas partes obscuras e horríveis não irão se mostrar! Elas têm medo da sua parte luminosa, e especialmente as partes que estão se tornando mais fortes. Vocês terão vencido esta batalha apenas permanecendo lá na escuridão e desafiando-a a se mostrar. Logo, lá estarão vocês, na escuridão, cantando! Sem medo, e rindo de toda a situação. Se não se lembrarem de nada mais hoje, é que esta energia, a qual pensam que é tão feroz, está na verdade com medo da intenção divina! A intenção de se equilibrar irá derrotar esta parte obscura todas as vezes. Capacitem-se a si mesmos, e suas partes obscuras começarão a abandonar o navio. Elas não ousarão se mostrar, e não irão.

6. Clamem o Anjo Interior
Depois que perceberem que sua parte obscura é covarde, já é tempo de clamar pelo anjo que sempre esteve aí. Isto se trata de compreender quem vocês realmente são. Mesmo que nunca sejam capazes de ver esta sua parte angelical, ela é o ser verdadeiro, e está pronta para ser clamada. Mais uma vez, usem seu poder de verbalização se desejam melhorar este processo. Façam uma cerimônia se isto ajudar a tornar este processo real para vocês.

Vocês compreendem como os atributos acima estão se encaixando? Aqui vocês estão sendo criativos, auxiliando outros Seres Humanos, exercitando-se, observando o que dizem, percebendo que o lado obscuro não tem poder sobre vocês, começando a sentir o seu próprio potencial de vida, e agora já é tempo de chamar o seu anjo para fora de seu esconderijo (que está se escondendo apenas porque vocês o enterraram)!

Leitores, ouvintes, vocês acham que isto é apenas uma conversa de canalização, não é? Então, aguardem. Como vocês gostariam que o drama de sua vida fosse embora? Como vocês gostariam de ser capazes de encarar qualquer situação e saber que estão absolutamente e 100% seguros em sua verdade? Ninguém pode dirigi-los em nenhuma direção, e de nenhuma forma, quando seu anjo está no comando. Quando o anjo sai, a terceira camada do DNA começa a ser ativada. Nós falamos sobre isto da última vez. Auto-estima não é mais uma questão. Vocês sabem quem vocês são. É capacitador saber sobre sua divindade. Cria uma situação alegre em sua vida.

7. Fusão
A última, a número 7, é sobre a fusão das polaridades. Agora mesmo neste planeta, uma das coisas que está acontecendo com a Terra, com as rochas, com o solo, com os portais é uma ação de mistura da qual vocês podem compartilhar. Está começando a haver uma fusão do masculino e do feminino. Estes atributos de seu gênero os quais têm como garantidos – um gênero é desta forma, o outro é daquele jeito – eles nunca se juntarão no pensamento –está começando a mudar. Cada um de vocês está aqui em um gênero; portanto, pedimos que comecem a aceitar os atributos do outro. Vocês acabaram de pensar que eu estava pedindo para que procurassem por outra pessoa, não é? Não. Desejo que vocês vejam os atributos do outro gênero em vocês.

Vocês existem com a habilidade de fundir um equilíbrio saudável de ambos os gêneros dentro de si para permitir que compreendam e, portanto, coexistam com o outro gênero no planeta. Vocês se tornam um ser humano muito melhor, quando têm uma mente de ambas as polaridade, mesmo que tenham o gênero biológico óbvio de apenas um deles.

Deixem-me contar-lhes o que este equilíbrio faz. Ele aproxima a humanidade! É chamado de fusão de consciência, e é o início de outra mudança na consciência humana no planeta. Nós falamos sobre portais e vórtices tornando-se “vortais”. Falamos sobre a união do yin e do yang (opostos, criando algo que não viram antes... um novo tipo de equilíbrio humano). Vocês podem não compreender integralmente o que estamos lhes dizendo neste momento, mas falamos algo que alguns de vocês estão começando a sentir – mulheres se tornando mais fortes – homens se tornando mais sensíveis – juntos, olhando-se um para outro diferentemente e por isso compartilhando melhor o planeta. Parem de ver um ao outro como opostos ou como adversários, mas, ao contrário, como uma família espiritual. Parem de ver o outro gênero dentro de vocês como uma fraqueza! O Ser Humano equilibrado agora é capaz de ter uma visão em perspectiva do equilíbrio porque vê com olhos diferentes... aqueles que se colocam no lugar dos outros, e aqueles que têm uma tremenda auto-estima! Não poderíamos lhes dizer estas coisas se assim não fosse.

Kryon (texto completo no link abaixo)


 


 

terça-feira, 18 de setembro de 2012

TRISTEZA

Estou triste.
Sufoco com um nó no peito que me aperta.
Dou por mim a fazer beicinho, como quando era criança.
O medo paralisa-me e passei o dia quase todo enroscada em cima da minha cama.
Em intervalos irregulares, a emoção aflora, e as lágrimas caem quentes para cima da minha almofada.
Levanto-me apenas para as tarefas essenciais à nossa sobrevivência. 
Passear as cadelas, ir à mercearia, tratar do jantar...
Sustenho a respiração, sempre que o meu filho se aproxima.
Não quero que me faça perguntas porque se fizer, eu sei que vou desmoronar.
Ha já muito que eu sabia que este tempo ia chegar.
Que ia ter de fazer escolhas, tomar decisões...
Que talvez tivesse que mudar tudo outra vez.
Que tivesse que deixar esta casa, esta cidade e este mar.
Mas resolvi aproveitar cada dia, cada momento, cada pequeno segundo.
Partilhei tudo, com todos os que pude, que amo, e que me querem bem.
Enchi esta casa de amor, de risos, alegrias, musica e dança.
E agora que o tempo urge e a pressão aperta, eu sinto na pele o retorno de amar tanto assim.
Porque eu sou amiga da nespereira do quintal das traseiras da janela do meu quarto.
Sou amiga dos pardalinhos que me acordam a cantar todas as manhãs,  a quem  atiro pão para cima telhado da cozinha em sinal de gratidão
Tornei-me intima desta longa extensão de areia, onde passeio todos os dias as minhas meninas.
Deste mar maravilhoso onde deposito as minhas lágrimas e os meus risos.
Conheço todos os animais da cidade, e graças a eles, os seus donos também...
Comovi-me vezes sem conta com este senhor estrangeiro que tem uma agência de viagens mesmo em frente à janela da sala.
Ele nem sonha o que já chorei por ele, por ver o desespero espelhado nos seus olhos verdes cheios de água, os suspiros e as mãos na cabeça de quem tudo investiu num negocio que já não da frutos.
E que quando me mudei para cá, há cerca de dois anos, me encontrava exactamente na mesma situação.
  Que eu tinha acabado de abrir mão do meu sonho, enquanto o via agarrar-se com todas as forças a este pedaço de madeira, qual náufrago sem rumo, à espera de ver terra firme...
Trocamos sempre um "bom dia", "boa tarde" e "boa noite", porque ele chega antes de eu acordar, e parte quando a lua já vai alta.
Há dias em que olha para mim como se eu o pudesse salvar, sem imaginar o quanto eu gostaria, não fosse eu também um pedaço de madeira , e com a voz trémula grita baixinho: "Hoje nem um EURO! nem um mapa consegui vender..."
Ao qual eu sempre respondo com o meu sorriso mais doce, apressando o passo, para que ele não veja a tristeza que me vai na alma:"Vai ver que amanhã vai correr melhor..." 
Outros em que o observo ao longe a caminhar pela praia, de sandálias na mão e calças arregaçadas, parando para molhar as pernas até aos joelhos, olhando o horizonte, num nítido pedido de auxilio ao criador.
Eu sei, porque faço o mesmo.Eu sei...
E pergunto-me, o que será deste senhor quando eu não estiver aqui para lhe desejar boa noite, em silêncio, enquanto retira o cadeado da bicicleta, para ir enfim descansar após mais um dia de sufoco.
 Quem irá alimentar os pardalinhos, dar os bons dias à nespereira,levar biscoitos ao Hércules, o cão do senhor que vende cinzeiros feitos de latas, mesmo junto às escadas rolantes?
E para dificultar ainda mais esta minha inútil tentativa de fuga à tristeza, nestes últimos dias, a praia não tem parado de me oferecer pedras em forma de corações perfeitos, búzios maravilhosos, e a visita de um dos meus pardalinhos, que no outro dia bem cedo de manhã me acordou com o bater das asas,  pousou em cima da minha cama, olhou bem fundo nos meus olhos, e só depois regressou para perto da família.Assustei-o.
Porque  dei um grito de alegria, como só a criança que me habita sabe dar!
 Era de alegria...Não foi para te assustar...
Eu queria tanto ter conseguido ficar muda e tentar tocar-lhe...
Eu sei que ele teria deixado.
Como naquele dia do verão passado em que fui a primeira pessoa a avistar algo na água que se aproximava a grande velocidade da margem. 
Parecia um tubarão mas eu nem hesitei, e precipitei-me ao encontro daquele ser magnifico.
Mas quando ele já me tocava nos joelhos e eu percebi que estava em sofrimento, corri para a toalha para ligar às emergências.
Pedi que enviassem a policia marítima, com a máxima urgência, porque um golfinho estava a morrer na praia. 
O meu grito de criança soltou-se de novo, desta vez de aflição, e quando corri para o mar, cheia de coragem para tocar aquele tesouro, já ele havia voltado para o mar.
Será que o mar lhe disse, que eu também o queria salvar?
Que não fugi, e que teria dado tudo para o poder tocar?
Soube no dia seguinte que o meu golfinho, era afinal uma baleia bebé que tinha sido encontrado morta, algumas praias à frente.
Corri para o meu caderno dos segredos e de olhos lavados em lágrimas  agradeci mil vezes pelo milagre que pude ver, e que talvez um dia, Deus me  deixe tocar.
Esta noite, irei fazer o que sempre faço antes de dormir.
Olhar as estrelas e a lua, enviar beijos aos pardais, dizer boa noite à nespereira, e pedir outra vez ao céu que me ajude a ver a porta que se abre, enquanto a tristeza vai fechando devagar, aquela que eu não quero largar...

Cláudia.




quinta-feira, 13 de setembro de 2012

SOU ARCO-IRIS

Eu não sou de uma só cor...
Sou composta de uma variedade de tudo o que existe.
Não pertenço a nada, a ninguém.
Sou livre...
Maravilhosamente livre e solta como solto é o vento do sopro que me anima.
Não tenho partido, não tenho religião, e nem pertenço a nenhuma raça.
Não encaixo em perfil algum,e não obedeço a leis senão as  do meu próprio coração.
Recuso rótulos, não caibo em caixas.
Não aceito conselhos de quem não admiro, não entrego o meu poder a nada externo a mim, e não gosto de andar em rebanhos.
Acredito em duendes, fadas, anjos e extra-terrestres.
Acredito em pessoas boas, acredito nos animais, e falo com eles. E eles respondem.
Abraço árvores, converso com  conchas, as pedras , as estrelas e a lua.
Não acredito em causas perdidas, e sim em milagres.
Sou cidadã do mundo, sou amante de beleza, sou tudo e sou nada...
Sou contradição,paradoxo e harmonia.
Não tenho um estilo musical, nenhum escritor preferido, e nenhuma estrela que venere.
Eu amo a escrita, respiro musica, e gosto de ver pessoas que se fundem nos personagens que encarnam. 
Amo a natureza, cada folha, cada pétala, cada raio de sol, gota de chuva, ou grão de areia...
Entrego-me à vida como se tudo valesse a pena.
Porque vale...
Sou intensa e apaixonada como o fogo.
 Frágil e vulnerável como a terra.
Sensível e imprevisível como a água.
Sou leve e feroz como o vento.
Por vezes choro baixinho no silêncio da noite.
Outras grito debaixo de água, imersa na banheira da minha casa.
Para não assustar as crianças.
A minha, e a tua...
Faço birras, e zango-me com o céu, sempre que me esqueço de quem verdadeiramente sou.
 Dou gargalhadas sonoras por coisas sem sentido, sozinha ou acompanhada, e choro, de tanto rir...
Choro mesmo muito.
Porque tudo me toca, porque sinto as dores do mundo, porque existem coisas que preferia não ver, saber, e nem ouvir falar, mas também porque vejo e sinto amor em tudo e o amor me faz chorar.
Acredito em tudo o que não vejo, porque o que não vejo, é o que mais me faz chorar.
De gratidão, de paixão, de saudade, de amor!
Tudo o que fui, o que já tive, e que que amei, foi a vida que me emprestou.
Para viver, experiênciar, desfrutar, e aprender a largar.
E é por isso que o só me posso comprometer com uma coisa.
A vida.
Com uma só pessoa.
Eu.
Porque só ela me conhece,entende os meus motivos, e irá seguir todos os meus passos.
Apenas ela tem as minhas lágrimas contadas, os meus sonhos guardados, e o meu presente nas mãos.
E eu confio em mim para deixar que a vida continue a apresentar-se, mostrando os sinais que devo seguir para continuar a caminhar neste caminho que só eu posso percorrer.
O caminho das cores do arco-íris que eu sou.
Infinito...
Eterno...
Onde descubro a cada passo que tu és outro eu e que eu, sou outro tu...

 Cláudia 




terça-feira, 11 de setembro de 2012

NÃO MORREREI UMA VIDA NÃO VIVIDA

"Não vou morrer com uma vida não vivida.
Não vou viver com medo de cair ou de pegar fogo.
Eu escolho habitar meus dias,
Para permitir que a vida me abra,
me tome os medos,
me torne mais acessível.,
solte o meu coração até que ele ganhe asas,
se torne uma tocha, uma promessa...
Eu escolho arriscar a minha importância
de modo que o que chegue a mim como semente,
vá para o próximo como flor...
e o que me chegue como flor, se vá como frutos.."

(Dawna Markova)