Número total de visualizações de página

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

SOU ARCO-IRIS

Eu não sou de uma só cor...
Sou composta de uma variedade de tudo o que existe.
Não pertenço a nada, a ninguém.
Sou livre...
Maravilhosamente livre e solta como solto é o vento do sopro que me anima.
Não tenho partido, não tenho religião, e nem pertenço a nenhuma raça.
Não encaixo em perfil algum,e não obedeço a leis senão as  do meu próprio coração.
Recuso rótulos, não caibo em caixas.
Não aceito conselhos de quem não admiro, não entrego o meu poder a nada externo a mim, e não gosto de andar em rebanhos.
Acredito em duendes, fadas, anjos e extra-terrestres.
Acredito em pessoas boas, acredito nos animais, e falo com eles. E eles respondem.
Abraço árvores, converso com  conchas, as pedras , as estrelas e a lua.
Não acredito em causas perdidas, e sim em milagres.
Sou cidadã do mundo, sou amante de beleza, sou tudo e sou nada...
Sou contradição,paradoxo e harmonia.
Não tenho um estilo musical, nenhum escritor preferido, e nenhuma estrela que venere.
Eu amo a escrita, respiro musica, e gosto de ver pessoas que se fundem nos personagens que encarnam. 
Amo a natureza, cada folha, cada pétala, cada raio de sol, gota de chuva, ou grão de areia...
Entrego-me à vida como se tudo valesse a pena.
Porque vale...
Sou intensa e apaixonada como o fogo.
 Frágil e vulnerável como a terra.
Sensível e imprevisível como a água.
Sou leve e feroz como o vento.
Por vezes choro baixinho no silêncio da noite.
Outras grito debaixo de água, imersa na banheira da minha casa.
Para não assustar as crianças.
A minha, e a tua...
Faço birras, e zango-me com o céu, sempre que me esqueço de quem verdadeiramente sou.
 Dou gargalhadas sonoras por coisas sem sentido, sozinha ou acompanhada, e choro, de tanto rir...
Choro mesmo muito.
Porque tudo me toca, porque sinto as dores do mundo, porque existem coisas que preferia não ver, saber, e nem ouvir falar, mas também porque vejo e sinto amor em tudo e o amor me faz chorar.
Acredito em tudo o que não vejo, porque o que não vejo, é o que mais me faz chorar.
De gratidão, de paixão, de saudade, de amor!
Tudo o que fui, o que já tive, e que que amei, foi a vida que me emprestou.
Para viver, experiênciar, desfrutar, e aprender a largar.
E é por isso que o só me posso comprometer com uma coisa.
A vida.
Com uma só pessoa.
Eu.
Porque só ela me conhece,entende os meus motivos, e irá seguir todos os meus passos.
Apenas ela tem as minhas lágrimas contadas, os meus sonhos guardados, e o meu presente nas mãos.
E eu confio em mim para deixar que a vida continue a apresentar-se, mostrando os sinais que devo seguir para continuar a caminhar neste caminho que só eu posso percorrer.
O caminho das cores do arco-íris que eu sou.
Infinito...
Eterno...
Onde descubro a cada passo que tu és outro eu e que eu, sou outro tu...

 Cláudia 




4 comentários:

Amaral disse...

As coisas simples são as mais bonitas.
As mais belas.
As mais profundas.
As mais saborosas de se ouvir, de se ler, de se sentir como nossas.
Estas coisas simples são TUDO AQUILO que és e que consegues transmitir.
Olha!... Quase vislumbro naquele flash, que foi o tal fugaz encontro, todas estas perquenas frases que se juntam numa só e reflectem o que todos somos.
Um dia imaginei o teu espaço zen. Imaginei-me nele e toquei o mesmo fogo, a mesma terra, a mesma água e o mesmo vento feroz e leve.
É claro que a simplicidade da vida não é apenas o brilho do arco-íris. Mas é ele também, multifacetado de mil maneiras. A simplicidade que a Vida nos permite vivenciar é eternamente gratificante, porque é cheia de mil emoções... principalmente aquelas que respiras, que gritas dentro de ti... e, num abraço, partilhas com alegria e amor.
Pela minha parte, obrigado!

Cláudia disse...

P/Amaral-Tu vês-me bem amigo, porque este texto saiu de mim, sem aviso, e foi mesmo como um grito que estava preso e que tinha de sair nesse dia.Assim...Tal e qual!
Com a tua análise, percebo que este grito não é só meu, e sim de muitos.
E é por isso que é simples.Porque todos somos, como tu bem dizes.
Quanto ao meu espaço, é assim, como imaginas.Zen, e ao mesmo tempo cheio de cores, como coloridos são os quatro elementos que fazem parte de mim.Eu também agradeço muito, a tua voz sempre presente, que me faz tanto bem!

Maria do Carmo disse...

Tomo a liberdade de fazer minhas as suas palavras pois sou exatamente essa pessoa... E tu és outro eu e eu sou sou outra tu..... contando as lágrimas... obrigada

Cláudia disse...

Maria do Carmo, emocionei me aqui também...Assim são estes re-encontros em que nos vemos com os olhos da Alma. Muito obrigada por seres outra eu.