Número total de visualizações de página

quarta-feira, 12 de abril de 2006

CANÇÃO DA ONDA


O litoral forte é o meu amado
E eu sou a sua namorada.
Estamos finalmente unidos pelo amor, e
Então a lua afasta-me dele.
Eu vou para ele apressadamente e afasto-me
Com relutância, com muitas
Pequenas despedidas.

Eu movo-me rapidamente em segredo por detrás do
Horizonte azul para lançar o prateado da
Minha espuma sobre o dourado da sua areia, e
Misturamo-nos em brilho derretido.

Eu sacio a sua sede e inundo o seu
Coração; ele amacia a minha voz e acalma o
Meu temperamento.
De madrugada eu recito as regras do amor sobre os
Seus ouvidos, e ele abraça-me ansiosamente.

Ao cair da noite eu canto-lhe a canção da
Esperança, e então imprimo beijos macios no
Seu rosto; eu sou rápida e assustadora, mas ele
é calmo, paciente, e atencioso. O seu
Peito largo acalma o meu desassossego.
Quando a maré vem, acariciamo-nos um ao outro,
Quando se retira, eu caio aos seus pés em
Oração.

Muitas vezes eu dancei à volta das sereias
Quando elas se elevavam das profundezas e
repousavam
Sobre a minha crista a observarem as estrelas;
Muitas vezes eu ouvi os amantes lamentarem-se
Da sua pequenez, e ajudei-os a suspirar.

Muitas vezes eu arreliei os grandes rochedos
E acariciei-os com um sorriso, mas nunca
Recebi deles uma gargalhada;
Muitas vezes eu levantei almas que se afogavam
E carreguei-as ternamente até ao meu amado
Litoral. Ele dá-lhes força enquanto me
Tira a minha.

Muitas vezes eu roubei jóias das
Profundezas e apresentei-as ao meu amado
Litoral. Ele tomou-as em silêncio, mas ainda assim
Eu dou porque ele me acolhe sempre.
Na opressão da noite, quando todas as
Criaturas buscam o fantasma do Sono, eu
Sento-me, cantando algumas vezes e suspirando
Outras. Estou sempre acordada.

Ai de mim! A insónia enfraqueceu-me!
Mas eu sou uma amante, e a verdade do amor
É forte.
Posso fatigar-me, mas eu nunca morrerei.

( Kahlil Gibran- Lágrimas e Risos)

6 comentários:

eveonclouds disse...

As almas apaixonadas são assim: vivem intensamente cada amor que se apresenta, dos maiores aos mais pequenos... suspera...suspiros de espera! EU TE GOSTO TUDO!

Cláudia disse...

p/eveontheclouds-e assim me pões tu de novo apaixonada e suspirando por receber tão bonitas palavras.EU TAMBÉM TE GOSTO TUDO meu amor maior.Nem poderia ser de outra forma,pois tu sempres susperas comigo.

Amaral disse...

Explêndida esta "Canção da Onda"! Encanta-nos esta magia de nos deixarmos embalar por estes versos tão eloquentes e belos. Uma canção de amor, mas uma canção diferente, tão terna… Tanta poesia nestes versos que aparecem em catadupa e nos enleiam numa loucura bela: "O seu peito largo acalma o meu desassossego. Quando a maré vem, acariciamo-nos um ao outro, quando se retira, eu caio aos seus pés em oração"... Escolheste com o coração. Parabéns!!!

Cláudia disse...

p/amaral-Obrigada amaral,partilho contigo todo o encanto que o Kahlil exprimiu com esta bela canção da onda.E foi mesmo com o coração que escolhi publicá-la para que outros corações pudessem cantá-la comigo.É muito bom ter o teu coração por perto.

Sophie disse...

Muito bonito...

Gostei:)

beijinho

Cláudia disse...

p/sophie-Que bom que gostaste, é sinal que a beleza do teu olhar captou a beleza do poema.beijinho p ti tb.