Número total de visualizações de página

terça-feira, 14 de março de 2006

ANJOS


Não, não é verdade que sejamos limitados. O sonho consciente acerca de universos inexplorados ou de mundos infinitos criados pela tua aspiração ou o teu desejo de novas realidades mais perfeitas são a constatação de que para eles se dirige a tua natureza, o teu Ser. Não podes conceber nada que tu não sejas já, por isso, a tua percepção do aparentemente distante, ideal ou inexistente, não é fruto do teu delírio, mas sim da intuição certeira da tua ilimitada capacidade oculta atrás do véu do esquecimento e da ignorância de ti.
Não, a nossa aparência não é verdadeira, a não ser o que atrás dela se esconde. Procedemos de um pacto de amor que nos converte na manifestação de Deus, num estado de Deus chamado Homem, proveniente ou vinculado à matéria para que esta descubra um dia a imanência de Deus nela, a sua presença, e, ao fazê-lo, Deus, que já é real nos infinitos mundos subtis, também se torna real ne matéria.
Esta é a nossa verdade. Temos a sagrada missão de despertar a matéria, e para isso estamos aqui. Não nos traz pois o pecado nem a discórdia com o Criador, mas sim o cumprimento do Plano da Criação que se completa ao reconhecermos como tal estado de Deus, ou mesmo Deus na matéria. Essa é a Lei. Assim se cumpre o Plano de Deus. Assim nasce o Filho.
Como supor, em tal caos, que diante de tão alto destino possam faltar ao ser humano os apoios necessários? O Plano de Deus, que se cumpre no Homem Novo, transcendido, liberto, reintegrado ao estado de unidade, ou seja, no filho de Deus, é a Ordem por antonomásia, a perfeição absoluta que dispõe de tudo o que é necessário em cada instante da manifestação para que tudo se cumpra; para que Deus se torne real. Nada pode impedir o seu cumprimento. Nada pode evitar o destino sagrado do Homem. Nada te pode impedir ou limitar.
Tudo está disposto a teu favor, para além das aparências. A Ordem, na qual estás imerso e que não vês, actua todavia sem ser vista. Podes descobri-la, admitindo apenas a sua existência, basta abrires-te a essa possibilidade. Se assim fizeres, descobrirás os fios que te unem a uma complexa e inimaginável realidade, a partir da qual os Anjos te levam de mão dada.
Pensamos que os Anjos pertencem possivelmente ao mundo infantil e que perdemos a sua companhia quando superamos a infância, mas não é assim. Eles continuam presentes na nossa vida porque constituem uma parte essencial na Ordem que procura o cumprimento do nosso destino, portanto, se não descobrirmos a sua presença não é porque eles estejam ausentes da sua função, mas sim porque em nós já não vive a criança inocente e confiante.
Voltar á infância, é recuperar esse estado de alma ligado à Unidade, onde o milagre se torna natural e quotidiano. Então, é quando a aparência do limite pessoal se desvanece e surge o subtil, que não tem limite. Apenas a um passo da nossa consciência existe um universo carregado de maravilhas, que espera os que voltam a ser crianças.

Chama-se Reino dos Céus e a ele pertencem os Anjos. Começa, pois, a conversar com eles e, talvez, um dia descubras que mudaste...

( Félix Garcia-no livro Dia-a-dia com os Anjos de Marta Cabeza )

7 comentários:

eveonclouds disse...

Nesse Reino dos Céus habitas também, transportada da Terra por teu doce sentir...e de tanto conversar te vejo renascer, mudada.

Méa disse...

oi querida estive aqui...
Méa

Cláudia disse...

p/eveontheclouds- Pois sim renasci e estou mudada , e foi graças a ti que me puseste em contacto com os Anjinhos. Divulga no teu céu o maravilhoso trabalho que fazes com eles, para que outros possam renascer também...

Cláudia disse...

p/méa-oh minha doçura, que bom que arranjaste um tempinho para me fazer uma visitinha. E eu, que me esqueci de estender o tapete vermelho para te poder receber...

greentea disse...

tb tenho este livro e um outro dela - não me lembro o nome...
os anjos há muito que me aparecem sob várias formas, mesmo sem voltar à infancia
obrigada pelo teu comment. há quem diga q não entende a m/ escrita

Amaral disse...

Não conheço o livro, mas identifico-me com quase tudo o que escreveste. Acredito que o Universo esconde muito mais do que possamos imaginar. A inteligência cósmica não parece muito distante da confirmação científica, depois das últimas descobertas . Assim como o propósito divino que está por detrás da Criação... Fazendo parte do mesmo estofo que o Criador, o homem vai, pouco a pouco, abrindo a sua consciência a Tudo aquilo que o rodeia e no qual se integra, naturalmente...

Cláudia disse...

p/greentea-encontrarás sempre pessoas que te entendam e outras que não, mas não tenho dúvidas de que não foi por acaso que fomos parar ao blog uma da outra.Quanto ao texto, ´não me parece que peça que voltemos á infância, para podermos contactar com os anjos, mas sim, que recorramos á criança que vive em nós.Os anjos são simples e directos na sua abordagem, ainda que subtis, e só a inocencia e a espontaneidade da criança consegue verdadeiramente contactar com eles.Acima de tudo, eles contactam connosco através de jogos, e por isso é que a criança é chamada para brincar.

p/amaral-O livro é lindo, e ainda vem com umas cartinhas que eu tiro todas as noites antes de dormir.Seguem-se depois um texto sobre a mensagem que o anjo tem para te dar, e por fim uma meditação. É verdadeiramente transformador, e ainda que te saiam as mesmas cartas, descobres sempre um novo sentido.Um presente maravilhoso,da inteligencia cósmica para todos os seres humanos.