Número total de visualizações de página

sábado, 31 de outubro de 2009

PARA ONDE VAMOS E O QUE FAZEMOS POR AQUI




A Terra é uma nave que percorre um caminho subtil em direcção ao fim dos tempos. Um caminho demorado visto só poder chegar a bom porto quando estiverem concluídas algumas premissas.

A primeira delas é a Terra conseguir chegar inteira. Antes que a própria Humanidade destrua a Humanidade. A segunda, é que os homens consigam chegar a um nível de evolução em que consigam abandonar a Terra. Consigam tipos de consciência cada vez mais subtis, que façam com que o corpo perca densidade e já não obedeça às leis da gravidade e da física.

O corpo dos homens dentro de alguns milhares de anos poderá começar a ficar transparente, mais consciência e menos corpo, e o Homem gradualmente não precisará mais respirar, nem de uma Terra para viver. Chegaremos nessa altura ao segundo estágio da criação, que significa que a experiência da matéria foi superada.

Vamos para um sítio onde o homem ganha uma consciência superior e se responsabiliza por não maltratar mais os seus irmãos nem esta imensa bola em que vive, que é sua casa. É necessário conectar as pessoas com o céu, de todas as formas possíveis, de modo a que elas possam reidentificar quem são e comecem a compreender que TODAS, sem excepção, fazem parte deste projecto evolutivo chamado Humanidade.

É uma questão de consciência. O ser humano veio à Terra promover o seu processo evolutivo a nível material. Mas como não deixa de ser um espírito, não deverá deixar de se conectar com o que é. A parte material é a novidade. A parte espiritual é o nosso lado mais antigo, mais genuíno.

O que vimos fazer à Terra é sermos nós próprios, que já éramos em espírito, mas numa nova dimensão. A material. Assim, essa conexão matéria/espírito, o que sou aqui em baixo, conectado com o que sou lá em cima, é o nosso objectivo.

(Este Jesus Cristo que Vos Fala, Livro1/A Entrega
Alexandra Solnado)

2 comentários:

Amaral disse...

Acredito que seja uma questão de consciência. Não que o homem "seja capaz" de destruir a Terra; talvez, "apenas" retirar-lhe as condições ideais para os seres vivos aqui se desenvolverem, tal como os conhecemos...
Como este, muitos planetas existirão por esse universo fora, capazes de albergar o Homem para os fins que Deus escolher...
Continuo à espera que nos contes a tua experiência, porque a tua verdade interessa-me e com ela eu vou reflectir muito...

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.